• STATO

6 mitos da recolocação profissional

A busca pela recolocação profissional abrange momentos diferentes da carreira em todos os níveis organizacionais. Quando realizada com boas práticas, pode trazer resultados personalizados e satisfatórios. O problema são as inverdades relacionadas ao tema, que se espalham e podem atrapalhar o desenvolvimento do processo.

Para melhor auxiliar os interessados em recolocação profissional, a STATO selecionou mitos acerca deste universo para derrubá-los e oferecer recomendações valiosas nesta etapa importante. Confira abaixo.

1 – Disparar muitos currículos é a melhor forma de conseguir entrevistas Você já ter ouvido esta história por aí, certo? Neste caso, porém, a prática é diferente da teoria. Enviar currículos em grande número e de forma aleatória não necessariamente aumenta as chances de ser chamado para entrevistas. Pelo contrário: pode dispersar a atenção com uma prática cansativa e pouco produtiva. Quem está procurando emprego precisa ter calma e lançar mão de critérios estratégicos em busca de posições alinhadas com o perfil.  

2 – O consultor vai conseguir um emprego para mim A contratação de uma empresa especializada em transição de carreira é um passo importante rumo ao novo emprego, mas não garante êxito por si só. O consultor tem papel estratégico para encontrar oportunidades alinhadas com o perfil do candidato, planejar cenários, ativar networking, organizar o currículo, prepará-lo para entrevistas, entre outras funções relevantes. Apesar de todo esse esforço, a recolocação só será possível se o assessorado fizer a sua parte, mantendo-se atento às oportunidades e em sintonia com todo o processo.

3 – Pessoas indicadas são sempre contratadas “Aquela vaga é só com QI”. Quem nunca ouviu esta expressão nos corredores das empresas? Embora esta seja uma impressão amplamente difundida, ela nem sempre reflete a realidade. Candidatos indicados podem encurtar caminhos para chegar até a entrevista, mas só serão admitidos em organizações sérias se tiverem os requisitos necessários, comprovarem experiência e demonstrarem bom desempenho nos processos seletivos.

4 – MBA é garantia de salário maior A aquisição de conhecimentos é bem-vinda em qualquer momento profissional porque amplia repertórios. E um dos mitos relacionados à recolocação profissional tem a ver com isso. Ao contrário do que muitos pensam, fazer um MBA não credencia ninguém a ganhar mais. Investir no curso Master in Business Administration deve ser uma preocupação de quem pretende ocupar posições gerenciais – ainda assim o crescimento profissional vai depender da aplicação dos conhecimentos adquiridos, e não do diploma em si.

5 – Contrações no fim do ano? Só depois do Carnaval Acontece todos os anos: quando o mês de dezembro se aproxima, entra em cena um dos principais mitos do universo de carreira: o receio de que as empresas vão retomar as admissões somente após o Carnaval. Mas isso não é verdade. Em janeiro de 2019, período geralmente atrelado a férias, foram geradas mais de 34 mil vagas com carteira assinada segundo dados do Caged – Cadastro Geral de Empregados e Desempregados.

6 – Passei dos 40, não tem mais emprego para mim Algumas pessoas notam que as oportunidades profissionais ficam mais escassas à medida que envelhecem, mas o caminho é longo até a aposentadoria. Existem, sim, empregos para esta faixa etária. Este é um tema em voga no mercado de trabalho e que tem ganhado atenção especial das empresas. Para conter o efeito da juniorização, organizações têm procurado investir em candidatos com mais experiência e maturidade, características importantes em setores superconcorridos e com margens apertadas.