• STATO

A hora é de reinvenção da carreira

Historicamente, eventos de crise são grandes oportunidades para inovações. Para citar apenas um exemplo, a internet se desenvolveu durante a Guerra Fria, na década de 1980, em meio à polarização entre EUA e União Soviética. Trazendo o conceito para o mundo dos negócios, é a necessidade de sair da zona de conforto, com movimentos ágeis, que pode determinar a sobrevivência de uma empresa em tempos de crise. Com a vida profissional, é a mesma coisa.

Neste conteúdo, repercutimos algumas recomendações do site HBR para a reinvenção do trabalho durante a pandemia do coronavírus. Todas elas dialogam com o conceito de autogestão da carreira e do protagonismo individual, que se tornam cada vez mais presentes. Se no passado as empresas eram responsáveis por patrocinar o desenvolvimento profissional, agora esta responsabilidade recai sobre o colaborador, sob pena de perder espaço para colegas mais preparados.

Desenvolva vários “eus” Tempos incertos reforçam uma recomendação valiosa do dia-a-dia do mercado de trabalho por vezes esquecida: mantenha o portifólio variado de opções profissionais no radar. Isso é importante porque mesmo em cenários otimistas, as mudanças de carreira podem não ser lineares e os caminhos, sinuosos e longos. Quando se fala em vários “eus”, significa considerar planos B e C a partir de ofícios viáveis que você tem interesse e/ou aptidão para realizar.

Tire projetos do papel A reinvenção da carreira só acontece com a tentativa de algo diferente. Neste momento de crise, quem busca oportunidades pode acumular conhecimentos, habilidades, recursos e relacionamentos até conseguir apostar na nova carreira. Isso inclui a recomendação de realizar cursos na área de interesse, ler, aprender idiomas. Há uma infinidade de conteúdos gratuitos e de boa qualidade na internet, no Stato Play, por exemplo, você confere vários webinars sobre carreira. Algumas perguntas a se fazer neste momento são: O que represento profissionalmente? O que quero me tornar? Onde posso contribuir melhor?

Recupere o networking Networking combina bem com almoços e cafés, mas também pode ser feito remotamente. A regra de ouro é fortalecer os laços mais fracos, ou seja, estabelecer contato com pessoas com as quais você pouco se comunica. Como o contato com elas é pouco frequente, provavelmente elas têm uma visão desatualizada da sua carreira e isso pode ser uma boa oportunidade. Mas, há um problema com esses laços fracos. Embora sejam uma fonte nova de recursos úteis, essas pessoas podem estar menos motivadas a ajudar justamente por causa do distanciamento social. Neste caso, opte pelos chamados “vínculos adormecidos” e retome contato de quem você já esteve perto.

Converse Com tantos desafios na transição de carreira, muitas pessoas podem ter tendência à reclusão. Esse comportamento se torna negativo à medida que incentiva pensamentos excessivamente individuais que levam a devaneios. Por outro lado, a autorreflexão é recomendada para correção de posturas e hábitos potencialmente danosos à carreira. Por isso, a comunicação neste momento é vital, tanto com pessoas do núcleo familiar e amigos quanto com profissionais especializados. Empresas que atuam no ramo de transição de carreira oferecem todo o suporte necessário durante o processo e ajudam a equilibrar expectativas com diagnósticos reais. Se a decisão for pela ressignificação da carreira, faça isso com apoio, e não sozinho.