• STATO

A transformação digital vai além da tecnologia

Ela ganhou o noticiário corporativo e virou tendência entre empresas de setores variados. Pesquisas ao redor do mundo apontam o crescente interesse de CEOs em promover a transformação digital, que é geralmente atrelada à tecnologia. Embora seja impulsionada por novas práticas de trabalho, ela vai além e implica profundas mudanças na cultura empresarial.

O uso da tecnologia para melhorar o desempenho dos negócios e aumentar a lucratividade já não é segredo para ninguém. A concretização desse cenário, porém, demanda o entendimento correto da relação homem-máquina, permitindo alinhar as melhores contribuições de cada parte. Construir uma boa mentalidade acerca desses fatores é o caminho para encontrar resultados melhores.

Diante desses desafios, o site HBR listou quatro reflexões que todo líder deve propor na hora de definir a estratégia adequada de transformação digital. Confira! Link: https://hbr.org/2019/03/digital-transformation-is-not-about-technology

1 – Descubra sua estratégia de negócio antes de investir em qualquer coisa Inteligência artificial, Big Data, aprendizado de máquina. São muitas as possibilidades de ferramentas digitais disponíveis no mercado. Entretanto, nem todas elas são compatíveis com os objetivos comerciais estipulados. Apostar em tecnologias premeditadamente, antes de refletir sobre o ganho competitivo do projeto, pode comprometer o planejamento em sua fase inicial.

2 – Identifique gaps e oportunidades internas Organizações em busca de transformações radicais geralmente contratam consultorias externas para propor novas práticas e aprimorar as que já existem. Este é um passo importante em qualquer movimento de grandes proporções, mas ele precisa ser feito em parceria com colaboradores, que entendem fortalezas e fraquezas internas. Promover estruturações sem levar em consideração as contribuições de quem vive o dia-a-dia daquele ambiente pode ser desfavorável.

3 – Perceba o receio dos funcionários de serem substituídos Quando os colaboradores notam que podem perder o emprego para máquinas, a tendência é resistir às mudanças. Isso cria um efeito negativo para a empresa porque se a transformação digital não der certo, o clima organizacional será afetado. Neste caso, a melhor recomendação é estimular o desenvolvimento profissional individual e a noção de que cada colaborador é protagonista de sua própria carreira.

4 – Traga a cultura de startup para dentro da empresa As startups são conhecidas por sua capacidade de tomar decisões rápidas, um ponto alto em momentos de transformações. Mudanças organizacionais vêm acompanhadas de riscos, que precisam ser bem calculados para evitar erros desproporcionais. Em cenários incertos, quando há necessidade de acompanhamento contínuo e revisões ágeis, hierarquias tradicionais podem atrapalhar a evolução de novos processos, impondo barreiras negativas.

Com isso, nota-se que a transformação digital transcende o território da tecnologia e impacta diretamente o mindset da organização como um todo. Cabe aos líderes compreenderem as nuances desse movimento para tomarem as decisões mais apropriadas.