• STATO

Futuro do trabalho: prepare-se para estas tendências

Reunimos neste post as principais tendências para o trabalho no futuro tanto para empresas quanto para profissionais. Conhecimento, criatividade e habilidades pessoais serão diferenciais importantes em um cenário automatizado pela tecnologia. Homens e máquinas vão conviver lado a lado nos escritórios. O seu trabalho poderá ser feito por um robô daqui a alguns anos? Largue na frente e se destaque aprimorando suas capacidades desde já.

5 Profissões em alta para o Futuro

A tecnologia está transformando radicalmente as indústrias e a relação com o trabalho. Na semana em que acontece a conferência mundial do futuro do trabalho, trazemos tendências importantes para a sua carreira. Segundo relatório do Fórum Econômico Mundial, as 5 profissões de maior as-censão até 2022 são:

  1. Analistas e cientistas de dados

  2. Especialistas em inteligência artificial e aprendizagem de máquina

  3. Especialistas em processos de automação

  4. Desenvolvedores e analistas de software e aplicativos

  5. Profissionais ligados à inovação

Pesquisa feita pela CNI (Confederação Nacional da Indústria) divulgada esta semana comprova a importância de absorver a tecnologia. Segundo o estudo, 6 em cada 10 empresas ouvidas pre-tendem aumentar investimentos em inovação nos próximos anos.

As habilidade do Profissional do futuro

Com o aumento da automação nas empresas, os profissionais podem investir em habilidades so-ciais para se destacar. As chamadas “soft skills” estão em alta porque não podem ser reproduzidas pela máquinas – pelo menos ainda não. São elas:

  1. Criatividade

  2. Inteligência emocional

  3. Análise crítica de dados

  4. Facilidade para aprender novas habilidades

  5. Capacidade de tomada de decisões

Movimentos que devem definir o modelo empresarial

Dando continuidade à série sobre o futuro do trabalho, o assunto de hoje são as tendências comportamentais. Se as empresas estão mudando, é natural que a forma de trabalhar também se altere. Reunimos abaixo quatro movimentos já em curso e que devem definir o modelo empresarial daqui pra frente:

Colaboração: Estruturas menos hierarquizadas e mais colaborativas, transformando a relação entre gestores e subordinados;

Liberdade: Mais flexibilidade de horários e de locais de trabalho graças ao avanço da tecnologia;

Conhecimento: Adoção da tecnologia como principal ferramenta de aprendizado por meio de cursos a distância;

Propósito: Interesse dos profissionais em buscar significado no trabalho que exercem;

Seu trabalho pode ser feito por uma máquina?

A evolução da tecnologia nas empresas deve afetar todos os segmentos, mas em níveis diferentes. Pesquisa da consultoria McKinsey indicou que tarefas operacionais e gerenciadas através de dados tendem a ser mais facilmente substituídas por máquinas. Por outro lado, posições com foco gerencial estão no grupo com menos impacto. Tratam-se de funções que envolvem capital humano, tomada de decisões, planejamento estratégico e trabalhos criativos.

À medida que a tecnologia avançar, o mercado de trabalho deverá exigir novos conhecimentos e habilidades relacionados a três áreas principais:

1. Criatividade: A capacidade de líderes e colaboradores entregarem o que a tecnologia não será capaz através de dados e estatísticas. São os insights humanos.

2. Imaginação: As máquinas são boas em otimizar processos, mas não em definir metas e objetivos. Saber implementar análises criativas e reimaginar práticas de trabalho serão diferenciais.

3. Estratégia: Nada disso fará sentido sem um plano estratégico assertivo. O líder do futuro deverá encontrar a melhor forma de mesclar capacidades tecnológicas e qualidades humanas para atingir melhores resultados.