• STATO

Você é antifrágil na carreira? Descubra

Você já deve ter ouvido a expressão “novo normal” muitas vezes nos últimos meses, certo? Utilizada para descrever o mundo pós-pandemia, ela pode ser considerada o retrato do momento que vivemos. Há ainda outro termo, menos famoso, mas que também se encaixa bem ao contexto atual: antifrágil. Soa familiar? Nós vamos explicar do que se trata e qual é a sua relação com a carreira.


Antifrágil é tudo aquilo que não se quebra ou se despedaça facilmente diante de pressões externas. O conceito, criado pelo professor de engenharia Nassim Nicholas Taleb, diz respeito à capacidade de enfrentar e até se beneficiar de situações caóticas, como uma pandemia. Está, portanto, diretamente ligado a momentos de incertezas nos quais os riscos são grandes e iminentes.


O conceito é geralmente atrelado ao mercado financeiro, para explicar a lógica por trás de estratégias de investimentos, mas é possível fazer um paralelo interessante com o mercado de trabalho. Você se considera um profissional antifrágil? Não sabe dizer? Confira abaixo as principais características e avalie se elas podem ser atribuídas ao seu perfil:


Antifrágil é ser mais do que resiliente Como observa a Escola Conquer, há uma diferença significativa entre ser antifrágil e resiliente, que é outro termo popular no momento. Enquanto o primeiro cresce e evolui diante de situações extremas, o outro muda seu estado temporariamente, para atender às necessidades, e depois consegue voltar ao normal. Qual dos dois perfis combina mais com você?


Antifrágil é usar crises a seu favor A zona de conforto não é tão confortável assim para o profissional antifrágil. Pessoas com essa característica enfrentam crises de frente, tomam a as decisões que consideram necessárias no momento (por mais duras que sejam), e não escolhem caminhos seguros em meio ao caos. Elas entendem a natureza dos problemas e sabem que o aperfeiçoamento profissional depende de aprendizados. É como diz o ditado: “mar calmo nunca fez bom marinheiro”.


Antifrágil é reconhecer as próprias fraquezas O autoconhecimento é um processo árduo, mas recompensador. Grandes líderes se desenvolvem a partir da percepção de suas vulnerabilidades, e não as omitindo. Indústrias também operam dessa forma: em caso de acidentes aéreos, por exemplo, as companhias intensificam esforços para tornar os voos ainda mais seguros e evitar novas tragédias, e o mesmo vale para competições esportivas radicais.


Algumas dicas para os profissionais que querem praticar a antifragilidade na carreira:


1 – Encare os problemas e tome as decisões mais apropriadas para cada momento.

2 – Não deixe de agir caso as decisões sejam arriscadas. Evitar o conflito, muitas vezes, pode ser um agravante do problema.

3 – Aprenda com as situações ruins e aprimore o repertório para lidar com eventos futuros.

4 – Use o feedback para alinhar expectativas com os colegas e/ou subordinados e melhorar a produtividade da equipe como um todo.

Com Época Negócios