• STATO

O que a Black Friday ensina para as empresas

Há alguns anos, a Black Friday era tão desacreditada no Brasil que ganhou o codinome de “Black Fraude” em função de descontos falsos. Após uma onda de críticas e o comprometimento maior de todos os agentes do mercado eletrônico, o evento ganhou corpo e se firmou como um acontecimento importante no calendário nacional do e-commerce. Em 2019 não foi diferente, o que mostra a consolidação da internet como plataforma de vendas.

A previsão é de que a Black Friday deste ano tenha movimentado R$ 3,15 bilhões pela internet no Brasil, segundo os idealizadores do evento. O montante significativo é similar ao faturamento estimado pelo comércio, de acordo com a Associação Brasileira de Lojistas de Shoppings (Alshop). A equiparação do volume de vendas nos ambientes digitais e físicos mostra a clara mudança no comportamento do consumidor brasileiro.

Além de uma maior intimidade do público em relação aos canais digitais, é interessante notar os benefícios da fusão entre plataformas. Segundo a Alshop, o bom desempenho das vendas através da internet, nesta época do ano, está relacionado à possibilidade de retirar mercadorias no local, garantindo rapidez na entrega ao consumidor e ampliando as chances de vendas com promoções de impacto presencial.

Um dos principais fatores a serem considerados para o sucesso das vendas online é a experiência do consumidor. Numa época ultracompetitiva, em que o público tem condições de comparar produtos e preços na palma da mão, ao alcance de um clique, as tecnologias jogam a favor das empresas. Agregar inteligência de dados e criatividade nas abordagens comerciais melhora a comunicação através dos canais de atendimento e, consequentemente, aumentam as chances de vendas.

Sabe-se que a tomada de decisão de compras varia de acordo com o canal escolhido, porque existem fatores que diferenciam experiências físicas das construídas em canais digitais. O que não deve mudar, porém, é a percepção das empresas sobre as necessidades dos consumidores, que estão em constante mutação. Acompanhar de perto estas mudanças e conseguir responder a elas com rapidez será cada vez mais determinante para a sobrevivência dos negócios.