• STATO

4 erros mentais que “matam” a produtividade no trabalho

Metas, indicadores, desempenho. A maioria das empresas modernas faz uso de sistemas que coletam dados para garantir a produtividade das equipes e, consequente, melhores resultados de negócios. Em tempos com margens apertadas e cenários muito competitivos, os colaboradores também podem adotar medidas individuais para aprimorar as entregas no dia a dia.

Estabelecer um bom fluxo de trabalho passa pela necessidade de organizar mentalmente os objetivos diários. Neste conteúdo, elaborado a partir de texto publicado no site HBR, selecionamos 4 dicas para implementar o planejamento assertivo a fim de impulsionar a produtividade no ambiente corporativo.

Erro número 1 – Superestimar o tempo de foco Pesquisas indicam que os profissionais têm apenas 1h12 minutos diária de trabalho ininterrupto – isso considerando todo o expediente. Isso porque telefonemas, perguntas e respostas rápidas, conversas informais tomam grande parte do tempo que deveria ser dedicado ao desempenho. Reconhecer esta realidade é usá-la a seu favor. Diante de projetos complexos, é recomendável estipular o tempo disponível para eles, considerando sua ordem de relevância, e fazer uma lista de prioridades a serem cumpridas impreterivelmente.

Erro número 2 – Não pensar nas barreiras práticas Se o tempo é escasso, é fundamental planejar os próximos passos com precisão para ser assertivo. Isso inclui a preparação prévia para uma reunião importante, por exemplo, antecipando eventuais problemas que venham a surgir, como os de ordem técnica. Desperdiçar tempo resolvendo algo que poderia ter sido previsto e testado previamente é colaborar para a falta de produtividade.

Erro número 3- Planejar mudanças radicais A melhora do desempenho em determinada tarefa é geralmente atribuída a mudanças de hábito. O problema é que na ânsia de fazer as coisas diferentemente, há quem leve a questão para os extremos e promova alterações radicais na rotina. Normalmente, o “tiro sai pela culatra” porque a tendência é a de perda de foco com o passar do tempo. Neste caso, a melhor alternativa é escolher pequenas mudanças na rotina, como acordar um pouco mais cedo ou fazer pausas específicas para relaxamento.

Erro número 4 – Perder tempo com tarefas recorrentes Se você realizar a mesma tarefa diariamente, provavelmente desenvolveu um método eficiente para fazê-la. Mas, o mesmo não se aplica com demandas que surgem eventualmente. Por exemplo, algumas vezes por ano é necessário limpar a unidade de cilindro da impressora no trabalho. Em vez de pesquisar as orientações na internet para cada procedimento, uma alternativa é deixá-las salvas para consultas rápidas futuras. Replicar esta estratégia para processos recorrentes, mas não tão frequentes, é evitar perder tempo que poderia ser revertido para demandas mais importantes.