• STATO

Como tornar a mentoria eficiente

A sequência interminável de tarefas no dia a dia pode levar os executivos a operar no “modo automático”. Como atender às demandas e ao mesmo tempo reservar tempo e energia para inspirar outras pessoas? A dificuldade em equalizar essa conta pode remover da lista de prioridades a atividade de mentoria que, embora seja motivo de satisfação, pode resultar em desgastante em cenários conturbados.

O objetivo deste conteúdo é oferecer dicas a executivos que têm interesse em mentorar profissionais, mas que não encontram tempo – ou energia – para investir os esforços necessários para dividir conhecimentos. As recomendações foram extraídas de post publicado no site HBR. Veja aqui o conteúdo original.

Defina limites e expectativas O relacionamento mentor-mentorado é uma via de mão dupla e deve funcionar como troca de experiências para aprimoramento de repertórios. O primeiro passo dessa relação deve ser dado pelo mentor. Na condição de especialista no tema, cabe a ele(a) determinar expectativas acerca de suas preferências e, então, alinhá-las com as necessidades do mentorado. O estabelecimento de limites é importante também para determinar quantas horas por semana ou mês serão dedicadas para a atividade. A partir da criação de um processo claro (composto de calendário, temas e briefings bem organizados), o fluxo de ações se torna mais eficiente.

Esta reunião deveria ter sido um e-mail? Quando falamos em eficiência, o bom aproveitamento do tempo é uma qualidade imprescindível. Ao analisar a programação de temas previamente definida, o mentor deve avaliar o melhor formato para a resolução de cada problema ou dúvida, inclusive para as necessidades de última hora. Se for possível atender à solicitação com um simples e-mail, assim o faça. E, em caso de reuniões, que tal encurtá-las de 60 minutos para 40, ou de 30 para 20 minutos? Como diz uma frase atribuída a Winston Churchill, “não existe problema tão complexo nem crise tão grave que não sejam resolvidos em 20 minutos”.

Use a internet a seu favor A pandemia do coronavírus evidenciou o que muitos de nós já sabíamos: sim, é possível trabalhar 100% remotamente. Ou seja, a mentoria de grupos não precisa ser presencial; o que poupa uma grande parcela de tempo. Outros recursos bem-vindos no ambiente online são o uso de listas de discussão e de aplicativos. Por meio deles, é possível separar mentorados em grupos de interesse e estabelecer comunicação dirigida para cada um deles, otimizando o tempo por meio de monitoramento constante, mas a distância. Há de se considerar ainda as vantagens dos webinars para transmissão de conhecimento. Durante a pandemia, as oportunidades virtuais são abundantes. Faça uso de todas as soluções que julgar adequadas.

E lembre-se: como define o texto publicado no site HBR, “a mentoria não deve queimar energia. Ela pode ser eficiente tanto em termos de combustível quanto de esforço”.  Para isso, basta organização e eficiência.